06/08/2014

C.I.V.A. ( Centro de Investigação da Vida Alheia )




1- Tive acesso a um boletim de informação da Junta de Freguesia de Mafamude e Vilar do Paraíso pago pelos impostos de todos os munícipes que mais parece um jornal de campanha eleitoral.
2- Um Boletim informativo deve ter informação do executivo e da oposição. Não li uma ideia, uma opinião da oposição. Errado!
3 - Depois muita dessa informação já é conhecida pelos jornais e um boletim destes não fica assim tão barato. Nos tempos que correm talvez fosse melhor não fazer um boletim deste tipo ou se o fizerem ser plural e menos propagandístico.
4 - A dado passo do boletim na página 25 li substituto legal. Isto é, Mafamude tem um presidente de Junta que está durante a semana como deputado no Parlamento e ainda consegue ser presidente do Clube de Futebol de Oliveira do Douro. Fantástico!
5- Cada vez é mais importante separar a política dos negócios mas também separar a política do futebol. Por outro lado devemos lutar por maior transparência e isenção: um cidadão, um cargo. A lei permite a um presidente de junta ser deputado e vice-versa mas está mal.
6- Li a entrevista de Eduardo Vítor Rodrigues ao jornal Audiência muito bem conduzida pelo seu director Joaquim Ferreira Leite. Achei-a interessante e bem estruturada, mas um pouco longa e justificativa após somente quase um ano de mandato.
7- Percebi que pretende continuar na CM Gaia, mas para isso, ao referir-se a Luís Filipe Menezes que acusou de andar mal acompanhado, ideia que eu corroboro e acrescento que foi traído por quem mais ajudou. Deve também ter cuidado com as suas companhias que não são as melhores…E essencialmente ouvir pessoas fora da sua entourage.
8- A dado passo da entrevista salienta que tem cumprido o que prometeu em campanha. Consultando a sua brochura eleitoral, poderíamos realçar várias coisas que não foram cumpridas a nível de cidadania, transparência, rede viária, desenvolvimento sustentado, etc. Mas vamos esperar ainda faltam três anos de mandato.
9 -Eduardo Vítor Rodrigues diz que não há oposição nem líder da oposição mas podem chegar mais cedo do que pode parecer ou pensar-se.
10- Segundo um estudo mandado fazer pela CM Matosinhos, o mar, a pesca e o peixe são os maiores cartões de visita. Por outro lado as festas religiosas vêm logo a seguir: O Senhor de Matosinhos. Mas para a malta nova galega o Beach Party é referência, deste modo deve-se apostar no turismo. Faltam hotéis: é preciso hotéis para as pessoas para além de virem comer ficarem a dormir e se poderem organizar eventos de média e grande dimensão.
11 - Um dos ex-libris de Matosinhos, a Casa de Chá da Boa Nova ,que foi salva da ruína pela câmara, reabriu como restaurante. Porém não se pode pagar 5€ por uma visita guiada, fora dos horários das refeições, à Casa de Chá da Boa Nova, edifício projectado pelo arquitecto Álvaro Siza na década de 1950 e monumento nacional. Acho muito dinheiro.
12 - Era bom e importante que viesse ao Porto a prova de WTCC e o Rali de Portugal, mas se tiver custos acrescidos para a CM Porto e incomportáveis. Paciência ! Para Rui Moreira primeiro está a boa gestão e o saneamento financeiro. Muito bem.
13- Na Maia consta-se que Bragança Fernandes actual presidente pode ceder o lugar a Domingos da Silva Tiago vice-presidente, antes do fim do mandato.
14- Na Madeira, Alberto João Jardim despediu-se do PSD que liderou durante 40 anos.Não pode concorrer de novo à chefia do Governo pela lei da limitação de mandatos mas ao que parece pode não ir-se embora. Ainda lhe pode passar pela cabeça concorrer por um partido formado por si.

JJ

Sem comentários:

Enviar um comentário