26/06/2014

Selecção Nacional: depois da vergonha





Portugal vai ser afastado dos oitavos-de-final e jogará com o Gana, para cumprir calendário. Porém deve-se fazer um rescaldo e uma análise desta presença no Mundial. É fundamental, depois do que se passou na selecção, que foi uma vergonha, um acontecimento marcante e negativo, em que se sentem os seus efeitos, haver um rescaldo e naturalmente consequências.
Dissecar as lesões, a escolha dos jogadores, o local de estadia da selecção nacional, o treinador, os dirigentes da federação, etc.

Quem são os responsáveis pela nossa equipa médica? Será que houve sobrecarga de esforço? E, a alimentação dos jogadores foi consentânea com o clima com temperaturas altíssimas e grande grau de humidade com desidratação elevada? Muita coisa estranha aconteceu à nossa equipa portuguesa.
Desde não ficar no local do jogo para se adaptar ao clima, excesso de exposição mediática nos treinos, etc.

Portugal foi a segunda equipa mais velha deste campeonato. Está na altura de mudar de jogadores, mas também de treinador. Mais valia ter José Mourinho em part-time. Carlos Queiroz é que tinha razão quando disse que a Federação Portuguesa de Futebol precisava de uma vassourada.
Não é normal não se querer um treinador como Carlos Queiroz e ele ter êxito numa equipa como o Irão sem tradição no futebol mundial!
A presença de Portugal no mundial foi um misto de sofrimento e vergonha.

O País depois da euforia, volta a cair na realidade e depressão. Os portugueses dão uns chutos mas falta-lhes muito: planificação; jogadores; conjunto; treinador; etc. Não vale a pena pegar na máquina de calcular para fazer contas. As contas dever-se-iam ter feito antes de vir para o Brasil.
Paulo Bento pôs o seu lugar à disposição do presidente da FPF, se Portugal falhar a passagem para os oitavas-de-final do Campeonato do Mundo. Mas parece que não o fez e foi invenção dos jornalistas. Como bom português não o poderia fazer. Os portugueses só saem dos lugares quando não têm outra saída possível e depois de muito tempo. Assim se passa na política e o mesmo no futebol. Acho que deveria demitir-se. Mas depois não tinha que fazer e já fala no Euro 2016, como se nada se passasse. 

O António Oliveira saiu da selecção por muito menos...

Todavia Fernando Gomes não fica imune a criticas e deveria também pôr o seu lugar à disposição. Quando uma equipa de futebol perde a culpa não é só do treinador, é de todos: jogadores; treinador; dirigentes; equipa médica; etc.
Espero depois deste Mundial que haja consequências e a culpa não seja somente do treinador.

Isto é, a culpa não morra solteira e não haja somente uns arrufos.Importante fazer-se uma catarse e uma análise detalhada do que se passou. Cristiano Ronaldo merece uma selecção melhor e os portugueses.
Gosto imenso da selecção nacional. Para mim, é o meu clube. Vibro muito mais com a selecção do que jogos de clube. A selecção é uma forma de união, amizade, querer vencer, de todos, e não só de alguns.

JJ

1 comentário:

  1. mario silva26/06/14, 22:14

    "A selecção é uma forma de união, amizade(...)"". Esta seria a presunção filosófica numa sociedade culta. Mas a real politik o que mostra é que a seleção é um negócio milionário, um método de enriquecimento rápido para muitos medíocres, com dinheiro público misturado. O futebol profissional é 'too big to fail', e portanto, tal como os bancos, tornou-se um mal que se tem de suportar.

    ResponderEliminar