26/05/2014

ABSTENÇÃO A GRANDE VENCEDORA das EUROPEIAS




Como era de esperar verificou-se uma fraca adesão a estas eleições. A maioria dos portugueses absteve-se de ir votar.Esta abstenção deve ser interpretada no sentido de castigar os políticos e que se retirem, que dêem lugar a outras pessoas que não estejam tão corrompidas, coniventes com o sistema, sem ideias e acomodados ao establishment.

O sistema político protege e premeia desmedidamente quem é eleito e tem um lugar público.Há montes de deputados, eurodeputados, vereadores , etc., inúteis que cumprem vários mandatos, quiçá um,  e tem acesso a regalias e influência que não pode aspirar qualquer cidadão no seu trabalho, pela sua profissão e no seu dia-a-dia.
As pessoas estão cansadas, cabisbaixas e cépticas. Já não sabem que fazer para manifestar o seu descontentamento, transmitir a sua decepção e expressar a sua absoluta rejeição com os políticos e partidos.
A abstenção andou à volta de 67%, esta indiferença , negação e "apolitismo" , deve-se segundo Michele Maffesoli  a que, «o político é o contrário da democracia» e Harold Pinter que «há uma crescente cultura da supressão da verdade».
Devemos estar todos preocupados mas os 21 deputados europeus serão na mesma eleitos e irão para Bruxelas, porém a sua legitimidade está diminuída e é mais um aviso para este sistema político, caduco, decrépito e ególatra.
Ao abster-se as pessoas estão a dizer que: estão furiosas; estão indignadas;  não confiam em nenhum político; não os querem;  não nos servem.
Uma abstenção deste calibre as eleições deveriam ser anuladas e dar-se início à mudança na lei eleitoral. Os portugueses repudiam esta forma de fazer politica em que os políticos parecem autistas e não ligam absolutamente nada ao que se passa à sua volta.
A abstenção está a dizer alto e bom som para quem queira ouvir: não gostamos desta democracia e as eleições converteram-se numa farsa.

6 comentários:

  1. "esta abstencao devia servir para dizer alto e bom som que estes politicos nao servem e nao teem legitimidade para assumir os cargos".
    Bom, devia mas, nao serve. Eles vao assumir os cargos e a abstencao e' uma inutilidade, numa democracia.
    Pedro-Liverpool

    ResponderEliminar
  2. parte do texto transcrito

    "Uma abstenção deste calibre as eleições deveriam ser anuladas e dar-se início à mudança na lei eleitoral. Os portugueses repudiam esta forma de fazer politica em que os políticos parecem autistas e não ligam absolutamente nada ao que se passa à sua volta."

    Isto foi o que disse no texto. Um dia isto há-de mudar , já faltou mais

    ResponderEliminar
  3. Água mole em pedra dura, tanto dá até que fura... A abstenção, o voto branco PARECEM inutilidades. Mas nem tudo o que parece é... O total destes três "votos de protesto" é ENORME e já li alguns escritos de "paineleiros" que desvalorizam o número percentual ASTRONÓMICO chamando a atenção para o "voto dos emigrantes" que "desvirtuaria" as análises da abstenção por exemplo... O sistema começa a sentir a insustentabilidade da farsa, mas manda os seus rafeiros conter os danos... Até um dia, em que não haverá mais espaço para "justificações"....

    PT

    ResponderEliminar
  4. É o vira o disco e toca o mesmo. Os ratos do costume já estão a sair da toca. Com uma percentagem de votos tão exígua, os dinossauros do Partido Socialista já estão a cantar hossanas, com o seu secretário a pedir exaustivamente eleições legislativas antecipadas. É um homem ansioso, patético, ridículo, que só pensa em pedir de joelhos o lugar de primeiro ministro, não falando de outra coisa. Está obcecado, castrado por uma ambição maior que a sua competência e o seu valor, não enxergando, cego como está, que está longe de poder alcançar esse lugar. Sociais democratas e socialistas estão a pagar, com língua da palmo, o lindo serviço que andaram a fazer todos estes anos, para que o povo se vire para a extrema direita como em França. Ladroeira, corrupção, mentira, canalhada, abortos, foi o que ofereceram ao povo que deixou de acreditar em banha da cobra que apregoavam pelas feiras, ruas e praças das cidades. Espera-se uma mudança radical. A hora vai chegar. O povo já não suporta estes políticos de aviário que não se fartam de mamar nas tetas do Estado .Alguns desaparecem do mapa, mas mal soa uma réstea de sineta a badalar, aparecem logo como formigas famintas a devorar o que resta da miserável mesa de um país empobrecido pela soberba e vingança de alguns que conseguiram, à custa de estranhas manobras de bastidores, ascender ao poder. A farsa tem sempre um fim. Francisco Azevedo Brandão

    ResponderEliminar
  5. É isso mesmo, a grande vencedora foi sem dúvida a abstenção!
    E não adianta o que alguns dizem: que é falta de civismo ou que empobrece a democracia o não votar.
    Seria tudo isso se tivéssemos um regime que nos tratasse com civismo e que fosse realmente uma democracia. Acontece que não basta ter o nome, não precisa até de o usar..., tem é que o praticar. O que esta gente que tem tido o poder de governar tem feito, é precisamente o contrário de tudo isto.
    O resultado está aí, e vai acabar tendo as suas consequências.
    Entre abstenção, nulos e brancos..., quase que dá para dizer que quem votou foram os "interessados".
    Viva a ABSTENÇÃO!

    Hercília Oliveira

    ResponderEliminar
  6. Boa tarde JJ e demais membros activos
    Deixo 1 questão e 1 ideia/proposta no ar:
    A questão é sobre que legitimidade factual,ética e moral tem 1 qualquer governo,partido,coligação,movimento,etc, para assumir o que quer que seja c/ 67% de abstenção?
    A proposta é para o presidente da república,presidente do parlamento e para o tribunal constitucional sobre a obrigatoriedade de anulação dos resultados por falta de mais de metade do "QUORUM" representativo!
    Seriam repetidas e o povo seria avisado que se se repetissem os resultados o pais ficaria ingovernável.
    Nessa eventualidade,seria formada 1 junta de salvação nacional até que os partidos apresentassem novas lideranças,candidaturas sérias,competentes e credíveis fiscalizadas por essa mesma junta e no fim de todo este processo de filtragem s/ reciclagem,seria realizado 1 referendo c/ 1 só pergunta:
    Na listagem abaixo dos novos candidatos por cada partido,coligação ou movimento coloque 1 cruz na janela sim ou na janela não à pergunta,CAPAZ ou INCAPAZ?
    Utopia minha? Será utopia? Será só minha? Exequível é! Haja seriedade que já ontem era tarde e 1 congregação de vontades politicas ancorado em 1 ministério dos negócios estrangeiros liderado por 1 individualidade sénior da mais alta craveira e reconhecidos méritos não só académicos.
    ASSIM É QUE NÃO PODE CONTINUAR PQ COMO DIZ (e bem) A SABEDORIA POPULAR,CASA ONDE NÃO HÁ PÃO,TDS RALHAM E NENHUM TEM RAZÃO!!
    1 fraterno abraço

    ResponderEliminar