24/04/2014

Farta



Isabel Coutinho
Enquanto alguns portugueses comemoram euforicamente a liberdade de uma ditadura imposta durante alguns anos e fazem de alvo, a figura de Salazar, para descarregar as suas revoltas e enaltecer a vitoria, os que não viveram essa época de privação de liberdade, os ( + de 50%), que já nasceram com a liberdade como um dado histórico adquirido, como outros feitos históricos, a implantação da Republica, os descobrimentos, as batalhas, os tratados...!

Os jovens de hoje, preocupados com o rumo do país e em que as suas vozes não se fazem ouvir, procuram na emigração uma esperança. Senhores governantes, façam com que eles se orgulhem da historia do seu país e das lutas do seu povo.

Se hoje se canta vitoria à liberdade, relembrando a época em que as crianças mais pobres iam para escola descalças e com fome! Onde é que está a alegria e cantar vitoria!, se as crianças de hoje, perante um parque escolar reestruturado, vão para escola calçadas, sim, até mesmo calçado de marca, ultimas tecnologias, liberdade para a "má criação" e na mesma com fome !

Onde evoluímos! Para onde evoluímos!

Estamos a caminho de um país com população envelhecida e as poucas crianças e jovens estudam por obrigação até completar o ensino obrigatório e no fim pouco mais sabem do que os que na altura da ditadura ficaram pela 4ª classe!

Os nossos filhos, num futuro próximo, se não houver uma mudança politica na democracia deste país, a quem é que eles vão fazer alvo para descarregar as suas revoltas, por não termos nestes 40 anos preparado um futuro de oportunidades e orgulho de viver num país livre e justo!

Será que as revoluções só se fazem com armas e violência!! O que será que os nossos políticos estudam nas universidades de verão! Seja qual for a sua ideologia politica, deviam prevalecer os princípios de democracia, liberdade, valores éticos, morais e humanos. Como também independentemente da religião ou crença, deve prevalecer a paz, o amor ao próximo, humanitarismo...!

Se ainda somos um pais livre, não totalmente submisso e vendido ao capitalismo estrangeiro, por não se pensa e se age a pensar o que é melhor para os portugueses e para Portugal! Não necessitamos de copiar modelos exteriores que não se adequam a este país à "Beira Mar Plantado".

Portugal tem a mais longa historia mundial e não permitamos que se resuma a 40 anos.

Estamos a perder o orgulho e glorificação à Pátria.


11 comentários:

  1. Caro Joaquim Jorge,

    À pressa, sem tempo e deixando escapar algumas paragens na minha saída do metro :) fui escrevendo ou melhor, pondo em escrita alguns pensamentos que fluem na minha modesta "massa cinzenta"!
    Depois de ter obtido um Excelente. Parabéns!, na publicação anterior, eram maioria conjunto de textos retirados daqui e dali de vários autores, este que hoje apresento é totalmente da minha autoria o que se torna desafiante e comprometedor!
    O anterior como este, é no contexto dos actuais tempos e data emblemática, os 40 anos do 25 de Abril, desculpe a repetição, mas perturba-me o ar que respiro, quando se fala do mesmo muito antes da data comemorativa...as vozes, os gritos, a revolta, os eventos intelectuais, os capitães falam não falam, etc, etc.
    Na mesma altura em que escrevia este texto, ouvi parte do comentário do Miguel Esteves Cardoso na SIC e ele falava, com outras palavras (noblesse oblige), o mesmo que eu escrevo aqui. Até desconfiei, enfim..."Ah! Não me diga que concorda comigo! Quando as pessoas concordam comigo, tenho sempre a impressão de que estou errado."(Oscar Wilde) ;)


    Vai em anexo e inspirei-me numa frase de Virgílio Ferreira (1916 - 1996).


    "Vencer ou ser vencido não é um limite. O limite é estar farto…"


    Obrigada pela atenção de ouvir os meus desabafos,


    Cumprimentos


    Isabel Coutinho




    ResponderEliminar
  2. Obrigado por partilhar connosco as suas ideias

    ResponderEliminar
  3. PARABÉNS Isabel Coutinho, por mais um excelente texto reflexão!

    Eu também estou FARTA..., e há muito! Por mim, podia até toda a gente estar de barriga cheia, bem calçada e com bons empregos, mas ter uma sociedade vazia de tudo o que considero mais importante e que torna as pessoas mais felizes, seria sempre uma sociedade POBRE!!!
    E é essa sociedade que temos ao fim de 40 anos da dita liberdade que eu não me revejo. que detesto, e que se pudesse a eliminaria.
    Parabéns mais uma vez, pela sua lucidez e coragem por dizer o que lhe vai na alma.

    Hercília Oliveira

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A prisão não são as grades, e a liberdade não é a rua; existem homens presos na rua e livres na prisão.
      É uma questão de consciência.
      - Mahatma Gandhi

      Obrigada Hercília
      Isabel Coutinho

      Eliminar
  4. A disciplina História deveria ter mais proponderancia na escola, o que não acontece, no entanto a história de Portugal é praticamente nula, assinala-se datas importantes e acontecimentos que desencadearam revoluções e afins, mas o conteúdo rico fica esquecido!
    Particularmente, gosto de história não por saudosismo, mas por interesse de movimentos e interesses que levaram a revoluções , estados de poder, factos que conduziram a evolução civizacional etc...contudo dou por mim muitas das vezes a pesquisar e a comprar livros sobre a minha própria história ( Portugal ), porque o meu conhecimento adquirido na escola é medíocre , sei mais sobre o império romano, 1a e 2a grande guerra ( também por gosto pessoal )do que sobre Portugal!!
    Quando ouço e assisto a personagens públicas importantes a falar sobre a glória da nossa pátria , fico incrédulo , pois tirando a altura da ditadura e 25 de abril, apenas se fala no império colonial o que é muito pouco.
    A História é importante, é o ADN de um povo, mas fica por aqui, o futuro não se vive do passado e este comportamento está a destruir a própria UE, a união não existe devido a cada país viver o presente e o futuro com ideologias retrógradas e passadas, como se tivessem fronteiras e domínios sobre outras pátrias e povos, negando aos seus próprios povos que vivem numa economia global e que aceitam o capitalismo como ideologia de governação .
    As pessoas limitam o seu pensamento a um bocado de terreno junto ao mar e esquecem o resto que gira a sua volta, o planeta terra é a nossa casa, os mais novos muitas das vezes optam por sair do País por vontade própria, com saudades sim, mas a visão que vão adquirir além fronteiras vai ser muito rica, este pedaço de terra é muito pequeno e com mentalidade muito medíocre.
    Por falar em revolução de Abril, a mesma foi feita por militares e não pelo povo o que por si só é redutora e explica a vassalagem que este povo faz a qualquer figura que esteja no poder, seja ditadura ou partidos políticos! A liberdade trouxe escolha, mas o povo preferiu criar uma democracia estática , de filiação partidária e promover uma máfia legalizada e com leis que protegem os seus defensores, além de criar uma constituição para apenas alguns! No acto de escolha os portugueses apenas optam pelo bem estar dos seus e pelo seu bolso( o que são muito poucos a votar ), a seguir criticam tudo e todos, mas prestam logo vassalagem se passarem pelo presidente da câmara , pelo patrão , pelo chefe etc...faz-me lembrar a geração mais velha da raça negra dos estados Unidos da América , são super racistas ( explicado pela repressão e de falta de direitos que viveram), mas mal vêm um senhor branco começam quase logo a saltar e a cantar ( vassalagem ).
    A fome existiu e existe, mas hoje por vezes é uma escolha, em vez de andarem com marcas e tecnologia , os pais podiam abdicar e praticar um outro modo de vida...eu disse pais ( geração que viveu o 25 de Abril).
    Existe muita hipocrisia , contesta-se o capitalismo selvagem, mas todos tentam ganhar dinheiro com ele, o sistema de contas poupanças, certificados de tesouro, obrigações, fundos de investimento são tudo fruto do capitalismo, quantos comunistas possuem contas destas por exemplo? Qual é o português que possui uma pequena poupança não utiliza estas ferramentas?qual o português empresário que não tenta explorar os seus funcionários e tentar fugir aos impostos?
    Fala-se em país justo e liberdade, mas só da boca para fora, no dia a dia cada um de nós tenta explorar o próximo na primeira oportunidade.
    Antigamente a palavra era um dom e valia mais que um papel, hoje é só palavras e discursos que nada servem os nossos interesses!
    Eu vivo num mundo capitalista, não gosto, não faz parte dos meus ideais, mas tenho que sobreviver neste conceito, mas existe pequenas atitudes e comportamentos que posso optar e tentar inverter este modelo no meu dia a dia...resume-se a opções na altura de adquirir marcas, créditos etc etc!!

    Ricardo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gostei Ricardo...
      "As pessoas ricas perdem uma das grandes emoções da vida.....
      — pagar a última prestação do carro." :)

      Eliminar
  5. Apesar de muitas vezes neste espaço ser "atacada" ferozmente quando falo sobre Salazar, por alguns em que a liberdade seria calar-me ou levar-me para o Campo Pequeno, ( não fosse a verdadeira democracia exercida pelo JJ...), eu nunca me calei ou acobardei de dizer o que acho e penso.
    E cada vez mais se ouvem vozes mostrando o seu apreço pelo dito personagem que queiram ou não, faz parte da nossa história.
    Mas...., o interessante, é que a partir de agora vai ser muito menos acalorada o ataque a quem quer que seja que defenda Salazar. Então não é que Mário Soares, Jorge Sampaio, e Ramalho Eanes, vêm agora dizer elogiando, que Salazar nunca usou dinheiros do Estado em seu proveito!!!!!
    Dito isto por Mário, que ainda hoje usufrui do que todos sabem, é a prova de que realmente já não está muito lúcido!
    Também O general Garcia dos Santos, disse há dias:
    "Não é preciso gostar de Salazar para reconhecer que foi o maior estadista de Portugal. Nunca igualado até aos dias de hoje."
    Depois deste depoimentos os indignados vão ficar mais "murchos", pois se o "chefe socialista" até falou de Salazar quase com saudade...!
    Se não tivesse visto nem acreditava..., mas vi e ouvi!

    Hercília Oliveira

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Muitas mais poderia aqui repor, frases proferidas deste senhor , que por haver uma evolução nas tecnologias e acesso imediato ao que ficou registado deste então! Podemos ter os olhos bem abertos e não nos ofuscarmos com a tentativa de "atirar areia para os olhos", só não vê que não quer.

      “Anunciámos medidas de rigor e dissemos em que consistia a política de austeridade, dura mas necessária, para readquirirmos o controlo da situação financeira, reduzirmos os défices e nos pormos ao abrigo de humilhantes dependências exteriores, sem que o pais caminharia, necessariamente para a bancarrota e o desastre”. RTP, 1 de Junho de 1984 - MÁRIO SOARES (enquanto primeiro ministro numa das entradas do FMI em Portugal.)

      Isabel Cotinho

      Eliminar
  6. Quem defende Salazar sao os incompetentes e inuteis da sociedade Porruguesa. Isto porque os que o fazem parecer um "bom estadista", sao os corruptos dos politicos atuais. Mas eles so' sao o que sao, porque lhes foi dada total liberdade durante 40 anos, pelos preguicosos dos cidadaos, que estao agora a acordar para o quao imbecis teem sido. Liberdade de expressao e de pensamento, sim. Mas nao a defender uma ideologia que impede e aniquila esses principios. Alias, defender qualquer ditador que seja, e' uma ofensa ao trabalho que este Clube, e outros espacos, desenvolvem em prol da democracia a que se aspira.
    Se por ex., nao podemos combater a pedofilia, nao vamos por isso abraca-la, ou vamos?
    Pedro-Liverpool

    ResponderEliminar
    Respostas

    1. Eu não fico calada porque não tenho nada a dizer!
      Talvez eu ache que algumas pessoas não estejam prontas para ouvir o que penso.
      Estão presas ao passado!

      Isabel Coutinho

      Eliminar
  7. Minha Sra

    Pode acreditar que não está só nesse seu sentir. Eu também faço parte dos milhões de pessoas que estão fartas. Gostei do seu texto.

    António Figueiredo


    ResponderEliminar