21/04/2014

Clube dos Pensadores recebe António Capucho


 
 
Joaquim Jorge , fundador do Clube dos Pensadores ( CdP), convidou António Capucho , co- fundador do PSD , para estar presente como convidado de honra, no dia 21 de Abril , pelas 21:30 , no Hotel Holiday Inn em Gaia. Este debate será o 80º debate, depois de 8 anos.
 António Capucho,destacado militante do PSD, foi recentemente expulso do partido , ao fim de 40 anos de militância , partido que ajudou a fundar juntamente com Francisco Sá Carneiro,por integrar e apoiar uma candidatura independente à CM Sintra, adversária do PSD , nas últimas eleições autárquicas de Setembro,na qualidade de deputado municipal. Porém muitos militantes do PSD apoiaram das mais variadas formas candidaturas contrárias às do seu partido – PSD – , mas não foram expulsos , pois a decisão de expulsão baseou-se unicamente na integração de listas aos diferentes órgãos autárquicos . 
 Esta decisão foi polémica, pois,os estatutos do PSD,no artigo 9º determinam que “cessa a inscrição no Partido dos militantes que se apresentem em qualquer acto eleitoral nacional, regional ou local na qualidade de candidatos, mandatários ou apoiantes de candidatura adversária da candidatura apresentada pelo PPD/PSD.” Se fosse aplicada à risca os estatutos do PSD,centenas de militantes do PSD teriam sido expulsos como : Miguel Veiga, Valente de Oliveira, Arlindo Cunha (apoiantes de Rui Moreira),entre outros.  Ou seja, fora os próprios candidatos, os mandatários e os subscritores das candidaturas, escaparam
António Capucho tem uma vasta carreira política, desempenhou, entre outros, vários cargos no PSD , tendo sido , secretário-geral , vice-presidente da Comissão Política Nacional , deputado, líder parlamentar e eurodeputado. Como funções governamentais foi Secretário de Estado Adjunto do Primeiro Ministro ; Ministro da Qualidade de Vida ; Ministro dos Assuntos Parlamentares.Por fim , foi presidente da CM Cascais.

O debate com tema livre incidirá em tudo : em António Capucho ; no PSD; nos partidos; no  25 de Abril ; no panorama da política nacional .

 António Capucho é um homem livre, sendo um dos poucos “senadores” que a nossa democracia possui. É muito importante regenerar  e reinventar o funciamneto dos partidos polticos e haver novas formas de participação cívica. Os partidos como pilares da nossa democracia estão em degradação, se não se readaptarem e regenerarem serão ultrapassados pelos novos tempos de mudança. Tem que se tornar mais democráticos e abertos a novas pessoas e ideias.


O sistema político está numa encruzilhada, impõe-se lucidez para perceber que temos de adaptar o nosso quadro constitucional à evolução da sociedade. Os cidadãos querem votar em pessoas e não em nomes de pessoas escolhidas pelos partidos, sejam para uma junta de freguesia, presidente de câmara, deputados, primeiro-ministro e membros do Governo.


Há algo que está a falhar estrondosamente, basta ver a abstenção. Trata-se somente de pensar. Se os nossos políticos e gente dos partidos reflectissem com o mínimo de sensatez e prudência, davam conta do que se está a passar.

Não é só a austeridade pelos cortes sociais e económicos. Há um drástico corte nas oportunidades e liberdade dos cidadãos. Ainda não perceberam que "a vida não examinada não vale a pena ser vivida". Podem estar no poder e ter altos cargos, mas não passa disso. É muito importante saber-se como se chegou a esse cargo, a forma como se exerceu esse cargo, por fim, a forma como se saiu desse cargo.As pessoas estão fartas , desesperadas, cabisbaixas , indignadas , pelo desemprego, cortes e corrupção As pessoas estão cada vez mais alheadas dos políticos que teoricamente defendem os seus interesses.As pessoas e os políticos estão num transe de divórcio : não se fiam um pêlo nos políticos.Uma parte da consciência colectiva sente-se abandonada.Este sistema político está caduco e está a carregar o próprio sistema.As pessoas têm que se habituar a não delegar em figuras concretas, mas a exercer um controle constante. Não somos meninos dependentes do papá.

Não sou anti-sistema , mas aposto na regeneração da democracia.Como os políticos não nos oferecem soluções , há a tentação de corrê-los todos e que venham os anti-políticos. Mas isso não é política , é uma explosão que pode aliviar , mas não resolve o problema .Apesar do desafecto com os políticos a política interessa e muito.É preciso uma revolução tranquila dos cidadãos que não se sentem representados.É preciso alguém com sentido comum , capacidade de liderança e uma base moral honesta. Que não se afogue em populismo e transforme a força da desilusão das pessoas em gestão política de verdade.Acabar, de uma vez por todas, com os privilégios dos políticos.

Os partidos não têm que nos dar a solução , só têm que parar de obstruir as soluções que a sociedade , muito à frente deles , já tem .Queremos um país para quem cá vive e não para quem o governa.O país precisa de uma redefinição ética , cívica e moral , em tudo. Sonhar é preciso, o tesouro de todos os sonhos. Pensar é preciso , o tesouro de todos os pensamentos e da mudança.

Este ano  que decorre o CdP já recebeu Teixeira dos Santos , ex-ministro das Finanças do governo de  José Sócrates , Carlos Barbosa, presidente do ACP  e  Arménio Carlos , líder da CGTP. 

 
O CdP  já recebeu ao longo dos anos figuras de vários quadrantes políticos e sociais : Ministra da Justiça Paula Teixeira da Cruz , Procuradora-Geral Adjunta Cândida Almeida , o Primeiro-Ministro Pedro Passos Coelho, o Ministro de Estado e Negócios Estrangeiros Paulo Portas , o líder do PCP Jerónimo de Sousa , o líder do PS , António José Seguro , o charmain da Jerónimo Martins Alexandre Soares dos Santos , o sindicalista Carvalho da Silva , entre outros.

Joaquim Jorge

Sem comentários:

Enviar um comentário