25/04/2014

25 de Abril



Não sou daqueles que acho que o 25 de Abril não valeu a pena e não sou democrata céptico em relação à nossa democracia. Posso-me considerar um democrata decepcionado e advogo um renascimento da democracia e de politicas sociais.

O momento actual,com a intervenção da troika há três anos com uma  austeridade constante e perplexa para quem nada teve que ver com isto - o povo. Durante anos a fio o Estado sustentou as clientelas dos partidos e os milhares e milhões que se gastaram em betão , umas vezes inútil outras vezes nem tanto, e os gastos e politicas seguidas de uma forma geral abjecta e inqualificável , hipotecando o futuro de Portugal.


O PSD, PS e CDS que tiveram sobre os seus ombros a responsabilidade de conduzir os destinos de Portugal  são os grandes responsáveis do que se está a passar. 


Há a tentação de lembrar António Oliveira Salazar pela sua honestidade e não ter mexido em dinheiros públicos, mas por outro lado deixou Portugal com um atraso secular, com os jovens sem acesso à escola,como um direito de todos que  propicia a ascensão social. 


Eu quero uma democracia ao estilo nórdico com pouca ou nenhuma corrupção,melhor governo, com maior igualdade e com um nível médio mais elevado. Mas para termos isso não é preciso fazer-se uma revolução com armas, mas sim com uma revolução pacífica de ideias,comportamentos e atitudes 


Não tenho dúvidas que vivemos numa democracia mas está cheia de defeitos que urge corrigir. Robert Fishman, sociólogo e cientista politico que estuda  há anos a democracia  portuguesa refere:"está bem enraizada", não está " totalmente satisfeita consiga própria" e não tem nem "excesso de confiança" nem " sentido de plena realização". Ele acha que isto é bom.


Temos a possibilidade de escolher em liberdade e a decisão de mudar as coisas.  No dia 25 de Maio há eleições europeias que podem servir para passar um cartão vermelho a este governo. Mais tarde em 2015 , há eleições legislativas em que os portugueses podem mudar de governo. 


Eu sei que votar é uma maneira muito pobre de intervir em democracia mas é melhor que viver em ditadura.


Temos que criar uma troika , anti-troika para analisar os efeitos nefastos dos cortes e na  democracia. Há um défice público, mas também, um défice social e um défice democrático.


JJ

9 comentários:

  1. Não nos venhas com a conversa da treta JJ. Este post é só para confundir e por ser o dia da liberdade e hipócrita. Se sentisses o que escreves, jamais consentias, que escrevessem no teu "caderno diário", apelos desencapotados ao fascismo e a Salazar, em nome da liberdade de opinião. És contra a pedofilia, obviamente não vais consentir que aqui se façam apelos a tão desprezível crime. Ou vais? Temos que concluir: se não és a favor, também não és contra o 24 de Abril e tudo o que ele implicou.

    ResponderEliminar
  2. Sabes uma coisa meu filho da p... . A democracia permite que tu venhas aqui vociferar e ofender as pessoas através do anonimato. Mas um dia destes vais a tribunal. o cântaro tantas vezes vai à fonte que parte...

    A democracia não foi feita para cobardes e anormais, A democracia foi feita por valentes , homens e mulheres que dão a cara.

    Como a partir de um número de telefone sabe-se de quem é , a partir de um IP quaqluer sabe-se quem é.

    Deixa este blogue e quem escreve aqui em paz. Toda a gente sabe que tens algo contra Joaquim Jorge e quem escreve aqui. Sabes o que é coacção psicológica e peerseguição com laivos de assédio negativo?

    Cuida-te que a tua hora está a chegar...

    Se as pessoas soubessem os dislates que dizes e ofensas ( arquivado para mostrar na justiça), morriam de ódio por ti.

    A blogosfera é livre, olha se tu vais para o Face ? Tens cu tens medo de ser apanhado, mas nós sabemos quem és , já faltou mais.

    ResponderEliminar
  3. Tu no fundo gostas disto. Olha se tu fechas o blog a comentários. É o fechas, tu adoras o blá blá e o " não importa que digam mal de mim, o importante é falar de mim " estas reações anónimos é de gente baixa, frágil e desesperada e de mal com a vida.

    ResponderEliminar
  4. Vês como tu sabes meu querido anónimo.
    O que seria de ti sem este espaço. Já não tinhas como dizer mal do jotinha

    ResponderEliminar
  5. Texto em destaque no site da Sapo (www.sapo.pt) rubrica blogs

    ResponderEliminar
  6. PARA QUANDO OUTRO 25 DE ABRIL?

    ResponderEliminar
  7. Sobre o 25 de Abril, disse Marcelo Caetano último PM do anterior regime, deposto pelas armas no golpe militar de há 40 anos:

    "Em poucas décadas estaremos reduzidos à indigência, ou seja, à caridade de outras nações, pelo que é ridículo continuar a falar de independência nacional. Para uma Nação que estava a caminho de se transformar numa Suíça, o golpe de Estado foi o principio do fim.
    Resta o sol, o turismo e o servilismo de bandeja, a pobreza crónica e a emigração em massa"

    "Veremos alçados ao poder analfabetos, meninos mimados, escroques de toda a espécie que conhecemos de longa data.
    A maioria não servia para criados de quarto e chegam a Presidentes de Câmaras, deputados, administradores, ministros e até Presidentes da República."

    Come ele sabia...!!!

    Hercília Oliveira

    ResponderEliminar
  8. Caro Sr JJ

    O 25 de Abril há anos que se tornou uma grande desilusão. O país que hoje temos não agrada a ninguém a não ser aos que dele usufruem ( roubam o cidadão).
    Eu era um jovem adolescente em 74, mas a vida sem o tormento político em que este regime de tornou era bem mais calma e vivida sem as revoltas de hoje. Hoje vivemos completamente açambarcados em política e diariamente revoltados. Só por isso já o rejeito.

    António Figueiredo

    ResponderEliminar
  9. Os retrogadas que insistem em valorizar um ditador, so' porque ja' nao teem forca para fazer nada, para combater a fraca democracia de Portugal, teem tido dois ou tres partidos no poder: o PSD/PP (Prato de bosta) e o PS(Prato de estrume), do qual insistem em comer, mesmo depois de saber o sabor que ambos teem. Sao burros ou nao sao?
    Pedro-Liverpool

    ResponderEliminar