19/02/2013

RELVAS NO CLUBE DOS PENSADORES

Peçam-nos os resultados no fim do mandato", afirmou o ministro, durante o debate no Clube dos Pensadores, que decorreu no Hotel Holiday Inn,em Gaia, e que foi marcado por frequentes protestos de pessoas na audiência.
Relvas disse que "os problemas de Portugal têm que ser vistos de uma forma global" e que os portugueses devem "acreditar que em 2015 Portugal estará melhor que aquilo que está hoje".

Em 2015, no final do mandato, "os portugueses poderão optar", insistiu o ministro.
"Não fomos nós que pusemos Portugal na bancarrota", afirmou Miguel Relvas no debate, dedicado ao "Momento Político".

Instado a esclarecer o que é a refundação do Estado, explicou que "a questão não está na refundação, mas na redefinição das funções do Estado".
O debate tem sido marcado por alguns incidentes, com participantes a interromper frequentemente o discurso e as respostas de Relvas

Logo no início, cerca das 20:40 o ministro foi interrompido por protestos de cerca de duas dezenas de pessoas, que cantaram "Grândola Vila Morena" e exigiram a sua demissão.
"25 de Abril sempre! Fascistas nunca mais", "gatunos" e "demissão", gritaram os manifestantes, interrompendo, o discurso de Miguel Relvas, que falava há cinco minutos.

O ministro ainda tentou dirigir-se aos manifestantes, mas a sua voz foi abafada pelos protestos. "Podemos cantar todos", disse Miguel Relvas, sempre sorridente, tentando ainda entoar algumas passagens da canção de José Afonso,
"Nestas circunstâncias (estas manifestações) não me desencorajam, não tenho qualquer tipo de preconceito", afirmou após os primeiros protestos, que, no entanto, continuaram a marcar o evento.

"Este debate é o mais difícil que fiz na minha vida", reconheceu Joaquim Jorge, fundador do Clube dos Pensadores.

"Não vim aqui para ser julgado, a minha vida é clara", afirmou o ministro Adjunto, acrescentando não ter nada a esconder e que "quem está nestas funções tem de estar aberto a críticas".
"Sou uma pessoa íntegra", frisou.

Joaquim Jorge afirmou ,«que compreende que haja indignação e protestos mas depende como e onde são feitos«. Esta forma de protesto cantando uma canção de Abril é interessante e desarmante , porém seguir-se insultos e palavras obscenas só dá trunfos aos outros e quem fica mal é quem as profere.»
Enfatizou ,«sou completamente a favor que se proteste e que se diga o que está mal, mas com argumentos e inteligência . Esta forma de protesto está-se a banalizar e não atinge os objectivos pretendidos.»

Acrescentou ,«ainda por cima feita no Clube dos Pensadores em que recebe gente de direita, esquerda , sindicalistas, empresários, etc. Local de liberdade de expressão e participação cívica, com entrada livre»

Por outro lado ,Joaquim Jorge não aceita que se aproveitem deste formato único do Clube em que cada um pode perguntar o que muito bem entender sem censura ou algo combinado previamente.
Joaquim Jorge prosseguiu , «liberdade implica responsabilidade . Foi lamentável , o insulto , interromperem uma sessão feita para os cidadãos e sociedade civil . Sempre fui a favor do contraditório , pontos de vista diferentes e perguntas difíceis.»

Por fim disse : «ao fazerem o que fizeram não atacaram Miguel Relvas e o Governo , mas o Joaquim Jorge , o Clube e todo o trabalho que se tem feito em prol da cidadania e da participação cívica ao longo destes quase 7 anos.»

Presentes no debate Hermínio Loureiro presidente da CMOA , Agostinho Branquinho ex-deputado , António Tavares ,provedor da Santa Casa de Misericórdia do Porto, Virgilio Macedo presidente da distrital do PSD/Porto, entre outros.
Lusa /CdP

42 comentários:

  1. O que é que pensavam, ao convidavam ao convidar semelhante ave?

    ResponderEliminar
  2. Já tivemos o Francisco Louçã . Jerónimo de Sousa , Mário nogueira da Fenprof , etc.

    Achamos oportuno ouvir o ministro explicar o que pretende fazer-se com os cortes de 4.000 milhões de euros...

    Ouvimos pessoas de todos so quadrantes polticos mesmo sem estar de acordo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Lemantamos ver que têm razão.
      "Ouvimos pessoas de todos os quadrantes politicos mesmo sem estar de acordo".
      De certeza que está a falar neste caso do acima referidos, como Louçã, Jerónimo de Sousa e etc.
      Pois ficou claro que quando se mexe no "tacho" que o apoia, a violencia é exposta e as isenção intelectual e a imparcialidade democratica sofre um grave ataque pela parte do senhor Joaquim Jorge, que deixou claro ao Pais que pensadores representa e que liberdades ele defende.
      Lamentamos mas a "censura" não existe, caso o senhor Joaquim Jorge ainda não se tenha atualizado, aconselho que o faça.
      Lamento é saber que existem dinheiros do Estado (meus) e serem entregues a um senhor dessa natureza.

      Eliminar
  3. Amigo, aguentaste bem a situação! Nunca te vi aos berros mas tiveste muita coragem para convidar uma coisa/persona non grata. Mantiveste a tua dignidade. A publicidade é boa: mantem vivo o exercício de cidadania, com Grândola ou sem Grândola.

    ResponderEliminar
  4. "...os portugueses devem 'acreditar que em 2015 Portugal estará melhor que aquilo que está hoje'"
    --- Miguel Relvas


    Mentira. A Economia *nunca* irá recuperar... Pelo simples facto de que está a ser destruída *de propósito* por quem isto disse, e pelos seus companheiros de governo, e não haver "pensadores" neste país capazes de o perceber ou com inteligência suficiente para impedir tal de ocorrer.

    ResponderEliminar
  5. Caro Joaquim Jorge

    Balanço positivo, muito positivo mesmo.

    O Joaquim Jorge, como moderador, teve uma atuação impecável. É homem, não é nenhum robot. Por isso reagiu, no momento, como um ser humano, civilizado mas com o vigor que se lhe reconhece.

    Concordo que esta iniciativa não devia ter sido aproveitada pelo grupo que se manifestou ruidosamente. Mas os ânimos andam muito exaltados.

    Miguel Relvas não esteve à altura das expetactivas. Não gostei particularmente da sua reação, que deu uns ares de comprometimento e acanhamento face à situação que tinha de enfrentar.

    Era de aguentar e não tentar acompanhar o "show" como se nada fosse com ele. Não estava numa festa ou arraial!

    O assunto que se estava a tratar era demasiado sério. O momento particularmente complicado.

    Ficou a iniciativa, que Miguel Relvas podia ter aproveitado melhor.

    ResponderEliminar
  6. Olá Joaquim, bom dia,

    Gostei imenso da forma enérgica como tu controlaste a sessão com o Relvas. És um excelente moderador.

    ResponderEliminar
  7. Leonor Furtado Sousa19/02/13, 12:50




    Leonor Trindade SousaTerça-feira, Fevereiro 19, 2013 12:48:00 PM

    Parabéns por tudo ...mas principalmente pela forma como dirigiu o "difícil" debate de ontem.........(a certa altura temi por tudo e por todos).....penso que o nosso povo precisa acima de tudo de aprender a estar e a ser , para depois poder ouvir e dialogar........temos um défice muito grande na educação.....mas um bem haja para quem tem a coragem de fazer alguma coisa para que tudo isto mude....obrigada Joaquim Jorge....

    ResponderEliminar

  8. É inadmissivel o que pressenciei da parte desse senhor que quer representar um clube num debate em nome do pensamento livre. Pergunto à direção desse "dito" clube de pensadores livres, se atitudes anti-democraticas de não respeitar uma manifestação democratica e de livre expressão é algo que vos orgulhe.
    Da minha parte como cidadão irei começar a pesquisar se existem dinheiros dos contribuintes fornecidos ao vosso "clube da repressão da livre expressão e com ambicões de substiutir a censura e a PIDE", para mover um movimento civil.
    Não estamos para estar a fazer sacrificios diários para ver o nosso dinheiro a entrar em "clubes aparelhos de estado".
    Um resto de um bom dia.

    ResponderEliminar
  9. Meu caro anónimo podemos dar-lhe umas lições de liberdade e saber estar.

    Somos tão indignados como o anónimo e estamos fartos de fazer manifestações mas de outra forma e de outro modo.

    O que fazemos fala por nós. Nunca utilizamos uma manifestçao de indignados para aparecer na TV e ter tempo de antena

    ResponderEliminar
  10. Exmo. Sr. Joaquim Jorge,

    Que baixeza de linguagem e de atitude e que não pode negar porque foi gravado e difundido públicamente, depois da sua atitude como moderador e responsável completamente descontrolado, verifico não possuir o perfil mínimo para as funções que exerce.

    Se este é o perfil de um clube de pensadores, de pessoas idóneas educadas e com capacidade de gestão de conflitos, foi coisa que o Senhor demonstrou não possuir a mínima preparação nem capacidade para se confrontar com o inesperado.

    Escrevo-lhe estas palavras como pessoa livre e de bons costumes, e agradeço que não volte a dar exemplos desta natureza de baixo nível de falta de postura e educação, que não só deseducam a sociedade que se pretende ser bem formada, e repare que crianças, adolescente e jovens assistiram ao seu despautério, que exemplo deu como cidadão membro de um clube que deve apelar à reflexão e concórdia, e ao desenvolvimento de pensamento crítico e criativo.

    Disponível para dialogar consigo em prol de uma sociedade mais justa e perfeita, subscrevo-me com toda a consideração por V. Exa.

    Luis Panão

    ResponderEliminar
  11. É a sua opinião que nós respeitamos . Moderar um debate nesta situação não é fácil.

    Não estamos habituados a que hajam manifestações no Clube e nos seus debates e , o pior, interrupções constantes no decurso do debate.

    Toda a gente sem excepção pode colocar questões que muito bem entende.

    Aliás o Joaquim Jorge foi das pessoas que mais perguntas dificeis colocou ao convidado...

    ResponderEliminar
  12. Pedro Aleixo esteja à vontade . O Clube nunca recebeu um tostão do erário público, antes pelo contrário, vê-se e deseja-se para fazer as suas iniciativas.

    Teremos todo o gosto em tornar publicas as contas do nosso fundador , assim como, se o Pedro Aleixo fizer o mesmo.

    Não devemos nada a ninguém felizmente e andamos de cara levantada.

    O problema de algumas pessoas foi o convite a um Ministro deste governo MR , mas já estava agendada há muito tempo. DEpois tentarem boicotar a sessão o que é lamentável!

    Quando convidados Mário Nogueira , Garcia Pereira , etc., foi pena não terem estado presentes.

    Essa de dizerem que estamos feito com o governo já é habitual , há pouco tempo estamops feitos com a oposição...

    ResponderEliminar
  13. Pouco respeito tenho pela integridade intelectual e moral do Sr. Relvas. Mas, depois de ver a atitude do Sr. Joaquim Jorge não sei como vos podeis chamar "Clube dos Pensadores".

    ResponderEliminar
  14. Era evidente que algo deste género iria acontecer.
    Embora ache que devemos ouvir todas as diferentes perspectivas, acho que não fazia qualquer sentido convidar alguém como o Miguel Relvas, numa altura de tanta crispação social, principalmente porque este ministro representa o que de pior existe neste governo.
    Acho que o Joaquim Jorge fez mal em convidá-lo nesta altura embora admita que do ponto de vista publicitário foi uma boa jogada para o CDP.
    Depois de iniciar o debate já não havia nada a fazer para acalmar os ânimos.
    Foi, sem dúvida, o pior debate do CDP que nos presenteou já com excelentes debates. Foi também, sem dúvida, o pior convidado de sempre!

    João Moura

    ResponderEliminar
  15. Filipe eu pentencio-o que me exaltei e excedi mas fui várias vezes interrompido...

    Estava a fazer um debate que tenho que organizar e moderar e vir pessoas boicotar o que faço porque não gosta do convidado , não caho a melhor forma mas .

    Acho que o deviam fazer à entrada e depois deixavam decorrer o debate.

    Ao insultar-se quanto a mim perde-se a razão...

    O Clube já existe há muito tempo e procura promover o debate de ideias com uma metodologia própria e deve ser respeitado por isso.

    O que se passou hoje já aconteceu noutros locaia mas fora das instalações com Passos Coelho , etc.

    JJ

    ResponderEliminar
  16. Gostaria de dar os meus parabéns ao Clube dos Pensadores pela iniciativa e lamentar a ofensiva orquestrada por alguns com o objectivo único de atingir pessoalmente uma pessoa em concreto, arremessando insultos e injúrias de forma absolutamente bárbara. As ideias vencedoras num qualquer debate não são as que levam colados insultos, ou as que são gritadas mais alto. Alguns pseudo-democratas têm dificuldade em perceber isso.

    ResponderEliminar
  17. A escolha de Miguel Relvas é, por si só, lamentável. Um homem com zero de credibilidade, que mentiu, omitiu e continua a rir-se. Quem se agarra ao poder como uma lapa, é de desconfiar. Prejudica a imagem do próprio Primeiro-Ministro, do partido, do Governo, e continua?
    Em política as coisas não funcionam assim. Se continua, é porque algo de muito mau se passa no seio do poder.

    Este convite lamenta-se. Tal como a deselegância, falta de democracia, solidariedade e respeito do moderador. Interromperam o debate. Lembre-se que este Governo "interrompeu" empregos, famílias, sonhos de muitos e muitos portugueses. Mandar calar alguém é de uma falta de educação tremenda.

    Vejo aqui comentários que lhe elogiam as capacidades como moderador. Não contesto, não assisti ao debate na íntegra, não duvidarei do todo por uma parte.

    Mas pensar é não andar de mãos dadas com senhores como Miguel Relvas. Pensar é mais que isso e Portugal precisa de pensadores, mas não destes que se interessam pela opinião de tamanha figura.

    Cumprimentos
    Sandra Pimentel

    ResponderEliminar
  18. Sandra , Joauim Jorge sabe muito bem o que diz e leu atentamente a sua opinião.

    JJ também é vitima da poltica deste governo. JJ não andam de braço dado com ninguém - convida pessoas para as ouvir e dar a sua opinião.

    O Clube não convidar Relvas não faz parte do governo nem é por este governo.

    Porém é importante ter conseguido trazer um Ministro ao Clube para sem perguntas combinadas e de uma forma livre existir as perguntas-respostas do Ministro.

    Falta de educação é aproveitar-se de um evento do Clube dos Pensadores , sabendo que está sempre presente a imprensa e boicotar mais um debate que se realiza para os cidadãos e sociedade civil.

    vamos continuar na nossa cruzada pela cidadania, participação cívica e procurar modificar comportamentos e atitudes.

    O ADN do Clube é pela cidadania sempre....

    Grândola, Vila Morena" é a canção composta e cantada por Zeca Afonso que foi escolhida pelo Movimento das Forças Armadas (MFA) para ser a segunda senha de sinalização da Revolução de Abril.

    é um símbolo de liberdade mas Zeca Afonso também dizia , "Seja bem vindo quem vier por bem"

    ResponderEliminar
  19. Fernando Jorge Cardoso19/02/13, 15:14


    Caro , Joaquim Jorge Neste espaço de discussão livre do Clube dos Pensadores , deixo-lhe nesta msg as minhas felicitações pela coragem e capacidade de organização destes eventos, pf não desista nem ceda ás pressões de "certos democratas".. O seu ultimo convidado - "de peso " personagem controversa na politica e no poder do governo , foi corajoso em enfrentar uma plateia dividida no rancor e ignorancia, mas tambem foi dececionante nas respostas objetivas que lhe coloram....no fundo!! e racionalmente verificamos que somos governados pela mediocridade pk tb somos mediocres nas escolhas....Espaços como o CLUBE DOS PENSADORES , permite livremente opinar sobre sobre o" mundo á nossa volta".. Ah uma obs/ aos presentes neste e outros eventos , -Quando nos convidam para participar na casa de alguém , não é boa educação insultar os restantes convidados e particularmente o convidado em foco... tb me apeteceu dizer ao ministro Relvas , o k disse Francisco J Viegas sobre a exigencia de faturas..... Força JJorge ,o meu obrigado pelo convite

    ResponderEliminar
  20. Era tudo evitável se não tivessem convidado o principal "coveiro" de Portugal. O timming é o pior pois existem milhares de pessoas a entregar casas, sem comida, sem dinheiro para pagar as suas despesas, etc...e anda tudo com os nervos à flor da pele!

    ResponderEliminar

  21. Não querendo ajuizar a capacidade do Joaquim como moderador , porque não a conheço, devo dizer que a amostra de ontem não é muito favorável. Imagine-se come seria ,se numa das inúmeras vezes , em que o Joaquim interveio( por ex) no fórum da tsf , fosse interrompido aos berros e com palavras de educação duvidosa. o moderador deve moderar...Compreendo que as interrupções sejam degradáveis e quebrem até a dinâmica pretendida. Mas o clube de pensadores pretende ser um clube de pensamentos e perguntas pré-determinadas? ou pretende-se um vaguear de pensamentos que leve a discussão mais além? Há perguntas erradas? e com este pequeno comentário não pretendo fazer a apologia da falta de educação mas sim de um debate plural. Quanto ao clube em si, os meus parabéns pela iniciativa

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro anonimo
      Debates como o da TSF e' que tem as perguntas pre-determinadas.Um debate civilizado, permite inquirir um convidado controverso e odiado como MR. Manifestacoes deviam-se fazer na rua ou na assembleia da republica. No Clube dos Pensadores, perdeu-se uma boa oportunidade de embaracar este Ministro, por inconsistencia das suas respostas, que seria o mais certo.
      Pedro-Liverpool

      Eliminar
  22. Paulo Cardoso no clube já estiveram memebros do governo , da oposição , etc.

    Desculpe mas não convidamos gente para evitar isto ou aquilo.

    Eu sei mas o boicotar uma sessaºao do clube - livre , partcipada e sem espartilho e tentar boicotar dá armas e razões a quem não as têm

    ResponderEliminar
  23. O nosso fundador Joaquim Jorge sempre procurou moderar os debates tendo como critério sintese e ouvir toda a gente.

    E tem funcionado muito bem... Os debates são sempre muito participados e com muita gente.

    Nunca houve nem vai haver perguntas combinadas e estudadas previamente.

    Aliás quem faz perguntas sempre dificeis é o Joaquim jorge mas com argumentos e educação

    ResponderEliminar


  24. boas jota ontem vi a reportagem do club dos pensadores parabens, gostei da tua postura, a manisfestaçao das pessoas sao o reflexo das medidas que os nossos politicos criaram, por isso tem que assumir, a verdade seja dita o homem ate se portou bem quanto a mim. parabens e continua,abraço jo

    ResponderEliminar
  25. Caro Joaquim Jorge quando afirmou "Não, isto é um sítio Privado, não tem direitos!!!" fiquei sem perceber se se referia a Portugal ou à sala onde decorria o colóquio... Reflicta na questão e pese bem a sua resposta pq ambas as opções são lastimáveis! Pedro R

    ResponderEliminar
  26. Lastimavel é aproveitarem-se de poder livremente entrar num local sem controle ou com previa inscrição. Isto é livremente e tentarem boicotar uma sessão do Clube dos Pensadores .

    O problema é o Relvas mas resolvam esse problema noutro local e noutro sítio não neste local que é um refúgio de cidadania.

    Quem protestou não quis ouvir , fez o que fez e foi-se embora.

    Quanto ao Privado - na monha casa mando eu como você na sua.

    Não temos que estar aqui a dar explicações de espécie nenhuma , mas alguma coisa ficará...

    O Clube do qual JJ é o fundador é uma associação informal de amigos que pugna pela liberdade de expressão e debate de ideias...

    AS pessoas para term direitos no Clube - falar ,opinar , discordar, etc., têm que cumprir um conjunto de regras minimas - saber ouvir esperar pela sua vez para falar , ter um comportamento consentâneo com a sessão.

    Para terminar esta discussão e respostas a todos os comentários a maioria anónimos.

    Achamos que escolher o local do Clube dos Pensadores para fazer o que fizeram não foi o melhor

    Há outros locais e mais oportunidades

    ResponderEliminar
  27. Muito bem Joaquim Jorge do modo como moderaste um debate e um espaço que era de todos e não de meia dúzia de pessoas que apenas aparecem para ter algum realce porque as TV´s estavam presentes. Sim a liberdade de cada um termina onde começa a liberdade do outro.Nunca vi estes mesmos insurgentes a cantar a Grândola nos tempos não muito distantes em que o verdadeiro "coveiro" de Portugal, que por acaso se encontra a (pseudo) estudar em Paris, fazendo uma vida faustosa à custa dos dinheiros de todos nós, andava por aí a fazer conferências e a dar entrevistas, enquanto Portugal se afundava.Nem desse nem dos amigos que por aí pululam muitos deles ainda nos corredores do Poder. Tb nunca vi esses mesmos insurgentes a fazer ruído e a cantar a Grândola enquanto Portugal entrava numa espiral de bancarrota por culpa de uma megalómana vontade de gastar dinheiros públicos em obras que ajudaram o País a chegar onde chegou por culpa de uma governação de incompetência que começou em 1995 e durou 16 longos anos de esbanjamento e de disparates que nos conduziram onde nos conduziram.
    Meu caro Joaquim Jorge,continua os debates pois como é usual dizer-se os cães ladram e a caravan passa. Quanto ao debate foi acesso e louvo a coragem do ministro mesmo não concordando com algumas coisas, que, ao contrário de outros, apareceu a dar a cara enquanto o anterior PM, mesmo estando a governar , nunca teve os ditos no sítio para aparecer e debater as políticas calamitosas e criminosas que levaram Portugal a ter que pedir dinheiro no exterior para poder pagar as suas contas e cumprir com os seus compromissos...

    ResponderEliminar
  28. E se alguns fossem aprender a escrever a língua materna não dando tanta calinada e tanto disparate? É evidente que sob a capa do anonimato e da cobardia podem destilar-se as mais disparatadas aleivosias e destilar todo o ódio que se quer e para quem se quer, próprio aliás de gente frustrada e normalmente de mal com a vida. A tal "valentia" encapotada e que só cheira a frustração e a um empobrecimento do espírito e da mente. Mas desses não reza a história...

    ResponderEliminar
  29. Sempre acreditei na liberdade de expressão desde que, quer seja em monólogo ou em diálogo, esta decorra com a civilidade e/ou civismo inerentes a nós mesmos. O homem como ser racional e construído em sociedades.

    Com base neste istmo e apelando à portugalidade, patriotismo ou nacionalidade, decerto não esperaria o clube quando convidou o senhor Miguel Relvas que houvesse tais manifestações provenientes de portugueses descontentes. É que razões de descontentamento os cidadãos inconformados têm.
    Sendo assim e não prevendo nada de novo que fosse proferido por tal convidado, não acham que correriam o risco de contestação?Por momentos fizeram-me lembrar Franquelim Alves.

    Voltando novamente a Miguel Relvas. Na minha perspectiva a ùnica novidade proferida foi quando referiu o seguinte e como consta parte na mensagem do vosso blogue - Em 2015, no final do mandato, "os portugueses poderão optar", insistiu o ministro.
    Isto sim, para mim é preocupante, porque segue a linha de pensamento com outros Ministros e Secretários de Estado do actual governo que já proferiram tais afrontas ou de algo semelhantes.
    Meus caros e portugueses, quando elegemos pessoas para gerir a pátria, no fundo estamos a dar o nosso consentimento para a resolução dos possíveis problemas que o país tem ou para dar prossecução de um programa político que foi apresentado pelos eleitos, o que NUNCA se dá, é o aval a esse mesmo "Staff" para a destruição do BEM PÚBLICO sem que os seus detentores (os portugueses) sejam ouvidos em REFERENDO. Quando se diz o que Relvas disse, vêm-me à memória a ditadura facista, embora esta pela sua presunção e da maneira como essas pessoas (políticos) falam, derivou para uma outra que è uma ditadura democrática.
    Por mais que me digam sobre a inevitabilidade das razões para que Portugal saía da crise, os Portugueses têm legitimidade para demitir um Governo quando este viola os príncipios consagrados na Constituição Portuguesa.
    Estas pessoas que estão no governo estão a agir com uma imunidade e impunidade face ao que decretam por resultado de uma inércia COLECTIVA dos portugueses.
    Os exemplos são tantos que caracterizam a arrogância dos políticos bem como da inércia e individualismo dos portugueses, somente deixo este que é bem presente e exemplificativo.
    No ano passado o governo com o aval do senhor Cavaco Silva e na decisão do Tribunal Constitucional, decretou o ROUBO do subsídio de Natal e de Férias a milhares de portugueses. O mais curioso vem na decisão do Tribunal quando este profere a inconstitucionalidade mas consente a continuidade do decretado, ou seja, que em 2012 estes ROUBOS não fossem repostos.
    Assim sendo, continuamos a assistir a contestações individuais e sectoriais quando a atitude deveria ser de uma resposta colectiva de todos os portugueses mesmo os que não eram afectados por tal decreto.

    Para terminar deixo a minha modesta contribuição para a saída da crise que se retrata no seguinte.
    No início Passos Coelho numa das suas intervenções apelou à responsabilização dos agentes públicos sobre a problemática do país, mas logo e ao longo do seu mandato, nunca o ouvi ou fazer algo que penalize tais pessoas. Foi então que percebi que o que ele se estava a referir, era somente à continuidade ou não das pessoas em deter cargos públicos ou no futuro serem incluídos ou não nas listas eleitorais. O que ele deveria ter dito, não era então "responsabilização" mas sim "CRIMINALIZAÇÃO". Porque os milhares de milhões de euros que foram indiscriminadamente usados pelos políticos para seu favor ou de terceiros por via das empresas públicas e/ou através de parcerias desde os meados dos anos 80, têm de ser investigados e penalizados os seus autores que de alguma forma enriqueceram ilícitamente utilizando esses mesmos dinheiros públicos. Se os seus autores forem alvo de algo ilícito e criminal, devem ser punidos severamente e arrestado a favor do estado todo o património então construído por essas pessoas e de sua pertença.
    Qurem apostar que pagavamos a dívida e ainda sobrava dinheiro?

    ResponderEliminar
  30. Acho que é de lamentar, que as pessoas, não respeitem a casa dos outros, vivemos numa democracia e não numa anarquia, contudo, o moderador devia ter mantido a calma e não deixar-se levar pelo calor do momento.
    Gostemos ou não, este governo tem o direito de levar o mandato até ao fim e deve ser respeitado bem como a maioria dos eleitores que nele votaram.
    Não tenho medo de-o dizer, o 25 de Abril foi bom, mas fez mal a muita gente.

    ResponderEliminar
  31. João reconheço que me excedi e faço mea culpa mas também fui insultado e caluniado por querer fazer um debate e uma reunião de pessoas que tinham direito à palavra.

    Porém a televisão ´só passou partes do sucedido.

    ResponderEliminar
  32. O descontentamento grassa , fica-se com a sensação que o descontentamento é de toda a gente menos do governo. Tem-se a firme certeza que a austeridade não é repartida por todos , uns poucos ganham cada vez mais , ao contrário da maioria que está cada vez mais pobre.


    O sistema político está manietado por interesses económicos e há uma grande frustração de muitos que votaram no PP e PSD convencidos que tinham a chave para a saída da crise.


    A situação está-se a agudizar , à medida que a crise vai afectando cada vez maior número de pessoas , há uma tomada de consciência que é preciso fazer algo, porque não há elementos que nos façam pensar que isto vai melhorar , antes pelo contrário.


    A democracia representativa está a falhar redondamente e a crise nos partidos é também um dos elementos que está na base destes protestos.


    O protesto recruta cada vez mais sectores da população tradicionalmente menos activos , tanto jovens , como adultos e idosos.


    A base de apoio da coligação governamental PSD/PP está-se a esfumar rápida e de forma contundente .


    Umas das novidades a reter das sondagens é a queda de popularidade do governo ( PSD/PP)que não se traduz na ascensão do principal partido da oposição ( PS):


    O ano de 2013 será de grandes conflitos e de perdas de peso dos partidos políticos e a porta está aberta aos extremismos .


    Todos estes protestos e mobilização de rua não vão ter retorno e está na forja um novo modelo de sociedade.


    Este despertar das pessoas mostram que tem toda a razão,porém é uma miséria de razão.


    Este governo não tem remédio é uma carcaça dos pés à cabeça. Viver actualmente é resistir e uma das formas de resistir é a capacidade de indignação, criar novas de formas de protesto.e de reivindicação.


    Como diz Stéphane Hessel é preciso « uma verdadeira insurreição pacífica»

    QUEM ESCREVEU ISTO FOI JOAQUIM JORGE, NUMA COLUNA DE OPINIÃO DO JORNAL "O PUBLICO" DO PASSADO 15 DE JANEIRO.

    Dizem-se coisas pela boca fora, cita-se "é preciso uma verdadeira insurreição pacífica» e depois fica incomodado por alguém levar à prática o seu pensamento ?

    Joaquim Jorge, JJ do tempo do futsal do Racing, o que se passou é fruto de um governo que é uma carcaça dos pés à cabeça e que deve ser derrubado o mais urgente possivel, antes que algumas balas comecem a assobiar junto das nossas cabeças.

    Carlos Ilídio

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A esta mensagem gostaria de ver uma resposta.
      Deixo duas sugestões:
      - Clube dos Pensadores, acho que podem abrir uma mensagem no blogue sobre a noticia que levou a tantos comentários e que carecem de uma resposta mais extensa da vossa parte. A resposta seria com base em opinião própria bem como sobre os comentários efectuados.
      - Carlos Ilídio, para quando a criação de um blogue ou outro meio de divulgação das suas observações, angústias, prazeres, aptidões, enfim... o que lhe for na alma.

      Eliminar
  33. Ai, Ai, Ai...
    então como é que é, clube dos pensadores. Dei uma resposta a um post editado por vocês e esse post foi retirado.
    Meus caros concidadãos, então apelam à questão da imparcialidade nas tendências políticas e depois retiram o post quando eu sugiro a introdução no debate ideológico-político a audição de outras estruturas políticas que não têm assento parlamentar!
    Dei como exemplo o PAN, PNR, PTP, sendo eles mesmos uns exemplos, e para que haja uma abragência na intervenção de modo isenta. No fundo estes e outros movimentos políticos traduzem parte ideológica dos dos seus perpectuantes assim como representam uma malha idelógica de portugueses votantes.
    Fica a sugestão e penso que assim não devem ter mais mensagens aludindo caracter tendencioso.
    Poderei considerar que não queiram publicar este ou o anterior post na perspectiva do âmbito da criação do blogue (seja ele e sobre qual for o seu intento) ou na perspectiva do moderador, dado que são detentores das duas vertentes. Mas mesmo que não venha a ser publicado, seguramente retirarei as minhas ilações sobre tudo o que tem sido dito pelos os que comentam e pelos os que gerem este blogue.

    Bem hajam e que consigam tudo o que anseiam na vida.

    Post Scriptum: A liberdade de expressão quando se a apela neste contexto, não configura uma aceitação/aprovação por parte dos moderadores do blogue a um comentário desde que não haja ofensas explícitas. Para isso basta eliminar tais mensagens ofensivas e não crivá-las após leitura das mesmas.

    ResponderEliminar
  34. A. Peres como deve calcular o meu blogue hoje está no limte de visitas pode ter acontecido que sem querer possa ter sido perdido.

    Envio-o sff de novo . neste espaço procuramos publicar tudo memso anónimo sem provocações e ataques pessoais.

    Obrigado

    ResponderEliminar
  35. Carlos Ilídio vemos que acompanha o que lê Joaquim Jorge . Muito obrigado por isso.

    O que aconteceu no Clube dos pensadores desculpe mas não é pacífico e não é uma revolução.

    Poderiam fazer isso noutro local , não no local que prima por dar voz às pessoas e ouvi-las

    A questão é que não queriam ouvir ninguém e queriam anular a iniciativa mas não conseguiram

    Hoje sim na TVI conseguiram mas isso não é uma problema do Clube dos Pensadores e a conferência de hoje não sei em que moldes foi feita e se a plateia tinha direito à palavra.

    Por outro lado meu caro amigo socialista nunca esteve num debate do Clube dos pensadores principalmente quando tivemos João Cravinho, Seguro ,Assis , etc.

    Por onde tens andado? Só agora te lembraste de JJ ?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Por outro lado meu caro amigo socialista nunca esteve num debate do Clube dos pensadores principalmente quando tivemos João Cravinho, Seguro ,Assis , etc.

      Deus me livre, devem ter-me confundido com alguém concerteza.

      Não, nunca estive nem estarei num debete do Clube dos Pensadores.

      Porque haveria de estar ?

      Se os convidados são sempre pessoas que têm todos os meios de comunicação para expor as suas ideias e não pessoas desconhecidas do grande publico.

      Por onde tenho andado ? Tenho andado por aqui e por ali, leio aquilo que é publico e comento se me fôr permitido e entender que o devo fazer.

      É a melhor forma que eu entendo de participar civicamente.

      Se os meus comentários objectivos não se enquadram neste blogue, desculpem, mas não sirvo para bajulador.

      Só agora me lembrei de JJ ? Errado, se procurarem verificam que muitos mais comentários já aqui coloquei.

      Não baralhem o jogo.

      Carlos Ilídio

      Eliminar
  36. Perdeu-se uma boa oportunidade de inquirir o convidado com perguntas incisivas e embaracosas. Ele ir-se-ia enterrar a ele proprio. Em lugar disso, faz-se uma manifestacao durante um debate que ja' provou ao longo dos anos, que e' imparcial e espontaneo,e que nao e' composto de perguntas pre-definidas como TSFs, TVIs, RTPs, SICs, etc.
    Esta manifestacao deveria ser feita na rua ou na Assembleia da Republica. Com este comportamento, todos perderam.
    Pedro-Liverpool

    ResponderEliminar
  37. Bom dia, caro amigo Dr. Joaquim Jorge!
    Vi os incidentes na televisão e fiquei chocado com a falta de consideração pelo seu trabalho. As pessoas podiam manifestar-se, mas fora da sala, antes ou depois do debate. Parabéns pela forma como enfrentou as pessoas e tentou acalmar os ânimos.

    Forte abraço
    LD

    ResponderEliminar